NOVIDADE! Colisões está de volta, em novo formato e local!

espm-startup-pratica

Estava com saudades? O Colisões está com novo formato! O Colisões está com novo formato! Com o nome “Startups na Prática”, o treinamento está de volta.

Empreendedores solitários ou quem quer dar um upgrade na carreira, aprendendo sobre inovação e criação de negócios inovadores: Curso prático e presencial de 4 semanas de criação de startups. Uma parceria ESPM e ACE (Antiga Aceleratech)! Entre no http://www.espm.br/startup – tem toda a programação, manual do aluno e condições especiais para quem correr logo para reservar sua vaga!

Quer entender o funcionamento? Entre no site oficial e participe!

IMG_1282

Colisões: Fim de um ciclo, inicio de uma nova era!

Um brinde ao sucesso!

Estamos felizes com o término da 3ª edição do treinamento Colisões, foram 47 dias desde o primeiro encontro com a turma até a despedida no StarterDay, cada dia foi proveitoso e obtivemos diversos aprendizados, momentos divertidos e muita colisão de conceitos.

Agradecemos a todos os parceiros e pessoas que auxiliaram de alguma forma a realização deste programa de capacitação empreendedora, contribuíram para que pessoas excepcionais de diversas áreas de atuação pudessem ter acesso ao mundo do empreendedorismo, somente com a propagação da mentalidade empreendedora poderemos realizar a mudança que o mundo precisa.

Entendemos o nosso papel para o empreendedor

Percebemos que precisamos aumentar o nosso impacto na jornada do empreendedor, por isso estamos reformulando a estrutura do Colisões, ele deixa de ser um treinamento para se tornar uma marca que abrange outras coisas, como por exemplo: eventos, treinamentos ao empreendedor iniciante e serviços para empresas que queiram se conectar a este fluxo de talentos e inovação.

Planejamos novos objetivos e mudamos a nossa visão de futuro

A nossa missão é desenvolver a mentalidade empreendedora e aperfeiçoar as capacidades do indivíduo para que ele participe da criação de projetos com potencial de se tornar negócios de alto impacto, seremos um terreno fértil para a colisão de experiências, conhecimentos, metodologias, ideias, projetos e indivíduos que gerem um suporte sólido para o início da jornada empreendedora.

Vamos juntos?

Quer participar desta revolução? Entre em contato! Juntos, podemos melhorar a sociedade! Fique antenado nas novidades que serão anunciadas em breve, se inscreva em nossa newsletter.

Canvas-da-proposta-de-valor

Canvas da Proposta de Valor, o que é e como usar

Definição sobre o que é o Canvas da Proposta de Valor

O Canvas da Proposta de Valor (Value Proposition Canvas) é uma ferramenta de desenvolvimento de cliente que explora mais profundamente os principais blocos do Canvas do Modelo de Negócio (Business Model Canvas) o seguimento de cliente e proposta de valor, ambos foram criados pelo Alexander Osterwalder.

Este quadro (Canvas) auxilia a entender o mundo do cliente e como o seu produto se enquadra as necessidades deste nicho, ou seja, assim como o Experiment Board, confirma se você esta entregando a solução ideal para o cliente resolver o problema que você esta tentando solucionar, isto se realmente existir um problema que o cliente queira pagar por isso.


Novidade: aprenda a criar startups na prática com o curso da ESPM + ACE (Antiga Aceleratech). Uma nova versão do Colisões. Vagas limitadas! Começo em 27 de Agosto de 2016 – Visite o site oficial: http://espm.br/startup


Caso você não saiba o que é desenvolvimento de cliente, realizaremos um artigo em breve sobre este assunto, as ferramentas desta metodologia são bem parecidas, entretanto são complementares, cada uma delas tem uma função e responde a diferentes perguntas em fases específicas de um projeto.

Inscreva-se em nossa newsletter para ser uns dos primeiros a receber estes conteúdos.

Quando usar o Canvas da Proposta de Valor?

A ferramenta é indicada durante o período de descobrimento da Startup ou para entender os clientes em uma empresa mais estruturada, pode ser utilizada para estruturar o processo de vendas, pois visa entender as necessidades dos clientes.

A aplicação dentro do processo de descobrimento pode ser feito quando já se tem definido um público alvo, problema e uma suposta solução, situação encontrada após o uso do Experiment Board.

A adoção desta metodologia traz alguns benefícios:

  • Desenvolver produtos conforme a necessidade do usuário
  • Economizar tempo e dinheiro
  • Entender as necessidades do cliente
  • Comparar o que você esta entregando com a necessidade do cliente

Um dos pontos fracos é a dificuldade de se colocar na posição do cliente e entender o seu mundo, se a equipe não for preparada pode ter problemas em identificar as necessidades dos clientes ou benefícios do seu produto, sugiro que participe de algum treinamento ou converse com equipes e pessoas experientes para auxiliar em sua utilização.

Aprenda a utilizar esta ferramenta na prática durante o treinamento Colisões, acesse a nossa homepage (http://colisoes.com.br) para saber mais informações

Como usar o Canvas da Proposta de Valor

Realizamos um hangout explicando como usar a ferramenta de forma correta para a 3ª turma do Colisões que rolou em SP, um treinamento que proporciona a vivência de criar até 3 Startups em menos de 1 mês, felizmente o webinar está aberto ao público e você poderá usufruir deste valioso conteúdo.

Além do vídeo, também colocarei algumas explicações escritas sobre o Canvas da Proposta de Valor, ele possui 2 grandes blocos de informação, a parte da esquerda representa o produto e na direita o cliente, vou explicar e exemplificar abaixo cada campo do quadro.

O cliente

O ideal é que você comece pelo cliente para entender as suas necessidades sem ter a influência  da solução

Tarefas do cliente

Este bloco procura entender como o seu cliente resolve esse problema, pode elencar as tarefas que realizam, necessidades que querem satisfazer ou problemas que querem resolver.

Você deve anotar a frequência que as atividades ocorrem e classificar como crucial ou trivial, de acordo com a sua importância, normalmente as atividades são:

  • Funcionais (ex. realizar ou terminar uma tarefa específica, resolver um problema específico, etc.)
  • Sociais (ex. tentando melhor a aparência, ganhar poder ou status, etc.)
  • Emocionais (ex. estética, segurança, bem-estar, etc.)

Quais necessidades básicas o seu cliente está tentando satisfazer? (ex. comunicação, sexo, etc.)

Além de tentar realizar um trabalho principal, o seu cliente também executa trabalhos auxiliares em diferentes papéis. Descreva os trabalhos que seu cliente está tentando resolver como:

  • Comprador (ex. tentando melhorar a aparência, ganhar poder ou status, etc.)
  • Co-criador (ex. estética, sentir-se bem, segurança, etc.)
  • Cedente (ex. produtos e serviços que ajudam os clientes a descartar um produto, transferir para outras pessoas, revender, etc.)

Destaque em qual contexto específico um trabalho está sendo feito, pois isso pode impor restrições ou limitações. (ex. quando se está dirigindo, fora de casa, etc.)

Dores

Descreva qualquer coisa que aborreça o seu cliente, antes, durante ou depois de realizar a tarefa para resolver o problema, relativo a custos financeiros, emoções negativas ou riscos. Classifique cada dor como severa ou leve e indique a sua frequência.

Existem algumas perguntas para lhe auxiliar:

  • O que seu cliente acha que demanda muito? (ex. demora muito tempo, custa muito dinheiro, exige grandes níveis de esforços, etc.)
  • O que faz seu cliente se sentir mal? (ex. frustrações, incômodos, coisas que lhe dão dor de cabeça, etc.)
  • Como as soluções atuais estão deixando de satisfazer seu cliente? (ex. ausência de funcionalidades, performance, mal funcionamento, etc.)
  • Quais são as principais dificuldades e desafios que seu cliente encontra? (ex. entender como as coisas funcionam, dificuldades ao fazer algo, resistência, etc.)
  • Quais consequências sociais negativas o seu cliente encontra ou teme? (ex. perda de poder, confiança, status ou humilhação, etc.)
  • Quais riscos seu cliente teme? (ex. financeiros, sociais, técnicos, ou o que pode dar muito errado, etc.)
  • O que tira o sono do seu cliente? (ex. grandes questões, preocupações, etc.)
  • Que erros comuns seu cliente comete? (ex. erros de uso, etc.)
  • Que barreiras estão impedindo o seu cliente de adotar soluções? (ex. custos de investimento à vista, curva de aprendizado, resistência a mudanças, etc.)

Ganhos

Agora vamos aos benefícios que o seu cliente espera, deseja ou pelo qual seria surpreendido, podendo ser utilidades funcionais, ganhos sociais, emoções positivas ou economias.

  • Que economias fariam o seu cliente feliz? (ex. economizar tempo, trabalho, dinheiro, etc.)
  • Que resultados o seu cliente espera e o que iria além dessas expectativas? (ex. nível de qualidade, mais de alguma coisa, menos de alguma coisa, etc.)
  • Como as atuais soluções encantam o seu cliente? (ex. funcionalidades específicas, performance, qualidade, etc.)
  • O que faria o trabalho ou a vida do seu cliente mais fácil? (ex. suavizar a curva de aprendizado, mais serviços, menor custo de propriedade, etc.)
  • Que consequências sociais positivas seu cliente deseja? (ex. uma aparência melhor, aumento de poder, status, etc.)
  • O que o seus clientes estão procurando? (ex. design bonito, garantias, conteúdo específico ou mais conteúdo, etc.)
  • Com o que o seu cliente sonha? (ex. grandes alívios, conquistas, etc.)
  • O que é sucesso e fracasso para o seu cliente? (ex. performance, custo, etc.)
  • O que faria aumentar as chances de adotar uma solução? (ex. custos menores, menos investimentos, menos risco, melhor qualidade, performance e design, etc.)

Proposta de valor

Enfim, concluímos o mapeamento do cliente, identificamos as suas necessidades, ganhos esperados e tarefas que realizam atualmente, o próximo passo é direcionar a atenção ao que você vai entregar (proposta de valor) com o produto ou serviço.

Produto & Serviços

Primeiro, liste os produtos e/ou serviços que serão entregues, identifique quais tarefas você auxilia o cliente a resolver, se são funcionais, sociais, emocionais, necessidades básicas, comprador, cocriador ou intermediário.

Os produtos e serviços podem ser tangiveis (ex. bens manufaturados, serviços face a face com o cliente) e digital/virtual (ex. downloads, recomendações online) como intangível (ex. direitos autorais, garantia de qualidade) ou financeiro (ex. fundos de investimento, serviços de financiamento).

Assim como os outros itens qualifique o nível de importância do seu produto na ótica do cliente e a frequência de uso.

Aliviam as dores

Descreva quais dores do seu cliente você está diminuindo ou aliviando para a realização da tarefa com o fornecimento do seu serviço ou produto.

Você reduz ou elimina as emoções negativas, os custos e situações indesejáveis e riscos que seu cliente experimenta ou poderia experimentar antes, durante ou depois de ler as tarefas realizadas?

  • Produzem economias? (ex. em termos de tempo, dinheiro ou esforços, etc.)
  • Faz o seu cliente se sentir melhor? (ex. elimina frustração, coisas que dão dor de cabeça, etc.)
  • Melhora soluções de baixo desempenho? (ex. novas funcionalidades, melhor performance, melhor qualidade, etc.)
  • Coloca um fim nas dificuldades e desafios que o cliente encontra? (ex. facilitar as coisas, ajudando os a ter a tarefa feita, eliminar a resistência, etc.)
  • Elimina as consequências sociais negativas que os clientes encontram ou sentem? (ex. humilhação, perda de poder, confiança ou status, etc.)
  • Elimina riscos que o seu cliente teme? (ex. financeiros, sociais, riscos técnicos, ou o que pode dar muito errado, etc.)
  • Ajuda seu cliente a dormir melhor de noite? (ex. ao acabar com grandes preocupações, etc.)
  • Limita ou evita erros comuns que os clientes cometem? (ex. erros de utilização, etc.)
  • Acaba com barreiras que impedem o seu cliente de adotar soluções? (ex. custos menores ou ausência de investimentos, diminui a curva de aprendizado, menor resistência a mudança, etc.)

Essa combinação de dores com a sua solução é o que faz a diferença ao utilizar esta ferramenta, você vai ter certeza que esta resolvendo as dores do seu cliente. Indique quantas vezes a dor ocorre e a sua intensidade.

Criadores de ganho

Este campo é sobre como a sua proposta de valor cria ganhos para o seu cliente, como os benefícios são criados e se o desejo ou a expectativa serão supridos, quiçá superados.

O seu produto ou serviço:

  • Gera economia que faz o seu cliente feliz? (ex. em termos de tempo, dinheiro e esforço, etc.)
  • Produz resultados que seu cliente espera ou vai além das expectativas? (ex. melhor nível de qualidade, mais de alguma coisa, menos de algo, etc.)
  • Copia ou supera as soluções atuais que encantam seu cliente? (ex. relacionado a funcionalidades específicas, desempenho, qualidade, etc.)
  • Faz a tarefa ou a vida do seu cliente mais fácil? (ex. curva de aprendizagem melhor, mais servições, custo menor de propriedade, etc.)
  • Cria efeitos sociais positivos que o se cliente deseja? (ex. melhora a imagem, produz aumento do poder, status, etc.)
  • Faz algo que os clientes estão a procura? (ex. bom design, garantias, mais funcionalidades ou mais específicas, etc.)
  • Satisfaz algo que os clientes estão sonhando por? (ex. ajuda a ter grandes conquistas, grandes alívios, etc.)
  • Produz resultados positivos que satisfazem os critérios de sucesso e fracasso dos seus clientes? (ex. melhor desempenho, menor custo, etc.)
  • Ajuda a tornar a adoção mais fácil? (ex. menor custo, menos investimentos, menor risco, melhor qualidade, desempenho, design, etc.)

Com isso você termina o último bloco do canvas da proposta de valor, agora você tem um panorama de como a sua proposta de valor irá impactar o seu cliente, tornando mais fácil a validação das suas hipóteses, pois estão escritas e estruturadas.

O próximo passo é verificar se estão corretas para encontrar o seu “Product/Market Fit” (encaixe do produto com o mercado), se está com dúvida do que é “Product/Market Fit”, farei um artigo em breve sobre isso, assine a nossa newsletter para ser um dos primeiros a receber este conteúdo.

Conteúdo extra:

Vídeos do Insper com o Marcelo Nakagawa

Explicação da ferramenta

https://www.youtube.com/watch?v=DUdyyk8gPY0

Exemplo do canvas

https://www.youtube.com/watch?v=8VmEQ0NVQCo

Vídeos do Alexander Osterwalder (em inglês)

https://www.youtube.com/watch?v=aN36EcTE54Q

https://www.youtube.com/watch?v=xTtvwAmjais

Este artigo foi proveitoso para você ou gostou do artigo? Compartilhe com os amigos e os ajude a estruturar melhor seus projetos