Descubra os 5 fatores que influenciam o ecossistema de startups no Brasil

2017-08-05T21:14:04+00:00

Hoje o termo startup é cada vez mais usado e conhecido no país, mas será que ele é realmente entendido por todas as pessoas que o utilizam?

A verdade é que ainda não existe uma definição de senso comum do que é uma startup, uns acham que são empresas iniciantes, outros empresas pequenas da área de tecnologia, outros que é um projeto em busca de modelo de negócios. Nossa definição de startup é: “Uma Startup é uma negócio em fase inicial que atua em um ambiente de extrema incerteza, desenvolvendo produtos ou serviços inovadores, com um rápido potencial de crescimento, através de uma modelo de negócios repetível e escalável, sendo geralemente de base tecnológica.” A mais próxima à nossa é a definição da Associação Brasileira de Startups.

Ok, mas afinal de contas, como é atuar neste ramo de startups?

O cenário brasileiro ainda está em um estágio inicial quando se trata de startups, e existem diversos fatores que influenciam neste cenário, que precisam ser desenvolvidos e amadurecidos para que o ecossistema se forataleça. Não será possível abordar este tema em sua totalidade apenas neste, pois ele é extremamente amplo e complexo (afinal, é um ecossistema, lembra das aulas de ciências da 3ª série? Então, coisas assim são enormes). Porém, irei falar sobre os aspectos que mais influenciam este ecossistema:

1 – Governo

Com certeza este é um dos que tem maior poder de influência dentro do ecossistema, pois ele tem uma forte capacidade de ser intervencionista ou liberal, podendo estimular (ou muitas vezes desestimular) o seu desenvolvimento. O que acontece no Brasil é que as políticas públicas ainda são muito tímidas neste sentido, existem algumas legislações específicas para micro empresas, mas para startups são poucas e recentes, como o Tech Sampa [1] [2] e o SisTENET [3]. Sem contar que o Brasil é um dos países onde é mais difícil, caro e demorado abrir uma empresa legalmente e conta com uma das maiores caragas tributárias também. Tudo isto acaba por fechar muitas empresas nascentes e desestimular muitas pessoas a empreender.

2 – Investidores

Da mesma forma que o governo começa agora a acreditar e investir neste setor, assim é também com os investidores privados. Eles ainda estão aprendendo a operar e investir em startups, e apesar do que parece quando lemos sobre startups que ganharam grandes investimentos, a realidade é que não é tão simples assim. O dinheiro no Brasil ainda é muito caro, conseguir um investimento é difícil e se feito na hora errada, ele irá mais atrapalhar a sua empresa do que ajudar. Existem muitas formas diferentes de investimento [4]

3 – Mercado

Quando falamos em startups, sempre pensamos que o melhor é pensar em soluções globais, como o próprio Google pensa antes de lançar algo novo: “serviços que atendam 1 bilhão de pessoas”. Mas para criar serviços assim, precisa ser focado em um problema comum à todas (ou a grande maioria delas) pessoas do mundo. Um problema existente em diversos países, como o compartilhamento de arquivos, provavelmente grande maioria (eu me arrisco a dizer que todas) das pessoas que usam computador se interessam em armazenar e compartilhar seus arquivos, por isso, o Google Drive (que eu uso para escrever os posts) se tornou uma solução global.

O hábito de não olhar localmente e tentar apenas reproduzir o que dá certo lá fora, contribui para que o desenvolvimento interno avance lentamente.

Mesmo assim, ainda existe muito espaço para soluções locais, existem muitos problemas graves, que não existem em todo o mundo. Eles podem ser facilmente encontrados em um país em desenvolvimento como o Brasil e dentro do próprio país existem realidades muito diferentes. Por exemplo, o Norte e Nordeste tem problemas diferentes dos existentes no Sul e Sudeste.

4 – Consumidores

Temos um grande mercado interno para consumo que vem aumentando o seu poder de compra nos últimos anos, isso gera uma série de oportunidades para empreendedores dos mais diversos setores. Mas, como dissemos acima, a maioria das startups tem uma base tecnológica, porém, nem todos os potenciais consumidores do país está habituado e familiarizado com este tipo de coisa, isso faz com que alguns produtos e serviços mais inovadores levem um tempo à mais para crescer por conta da resistência das pessoas.

5 – Empreendedores

Pesquisas globais sempre revelam o quanto os brasileiros são um povo empreendedor. Nós sempre estamos entre os primeiros países do mundo no ranking de pessoas interessadas em abrir o seu próprio negócio. Mas o que acontece é que as pessoas não se preparam pra isso, acreditam que empreendedor não precisa estudar, não precisa se profissionalizar, só precisa fazer. E isso também é um tanto contraditório aqui, pois, empreendedores experientes sabem que o erro é natural dentro deste meio, porém socialmente falando, errar ainda é tido com algo vergonhoso.

Empreender não é uma tarefa para ser feita sozinha, é muito melhor empreender com um equipe, porém, quando você junta várias pessoas imaturas e despreparadas em um grupo, elas estarão fadadas ao fracasso caso não amadureçam rápido (aprendendo com erros). Por isto criamos o curso Colisões. Para ajudar pessoas que querem sair desta solidão empreendedora.

Apesar de tudo dita acima, nunca foi tivemos tantos conteúdos sobre empreender como hoje. Nunca tivemos um ecossistema tão favorável ao empreendedorismo (acredite, já muito muito pior), porém, como podemos ver com esses exemplos simples, que ainda temos uma longo caminho à ser percorrido.


Referências:

[1] – Startups de tecnologia receberão apoio financeiro em São Paulo – www.capital.sp.gov.br/portal/noticia/3619
[2] – Série de vídeos sobre o Tech Sampa – https://www.youtube.com/watch?v=s-y8lNAzDEw&list=PLa7gG5OCA7TlCQKmIhH7BtIRAOMzz_w98&index=1
[3] – Como funcioana a tributação do SisTENET – http://startupi.com.br/2013/10/sistenet-senado-aprova-lei-que-podera-isentar-startups-de-impostos-federais-veja-documentos/
[4] – Quais são os recursos disponíveis e onde encontrá-los? – http://exame.abril.com.br/pme/noticias/onde-estao-os-recursos-para-a-sua-startup/