Experiment Board, saiba o que é, quando e como usar

 

Definição sobre o que é Experiment Board

O Experiment Board é uma ferramenta de desenvolvimento para Startups, desde o cliente até a solução, idealizado pela empresa Javelin. Caso você não saiba o que é desenvolvimento de cliente, realizaremos um post em breve sobre este assunto. Inscreva-se em nossa newsletter para ser uns dos primeiros a saber.

Este quadro auxilia no processo de validação do cliente, problema e solução, ou seja, confirma se você esta entregando a solução ideal para o cliente resolver o problema que você esta tentando solucionar, isto se realmente existir um problema que o cliente queira pagar por isso.

Quando usar o Experiment Board?

A ferramenta pode ser usada em qualquer situação, porém normalmente é aplicada em projetos que fornecem serviços ou produtos inovadores, pois os produtos e serviços tradicionais já conhecem as necessidades do seu público alvo.

A adoção desta metodologia traz alguns benefícios:

  • Desenvolver produtos conforme a necessidade do usuário
  • Economizar tempo e dinheiro
  • Focar no que é importante
  • Conseguir mensurar o avanço do projeto

Um dos pontos fracos é a aplicação incorreta da ferramenta, isto pode gerar falsos indicadores, sugiro que participe de algum treinamento ou converse com equipes e pessoas experientes para auxiliar em sua utilização.

Como usar o Experiment Board

Realizamos um hangout explicando como usar a ferramenta de forma correta para a 3ª turma do Colisões que rolou em SP, mas está aberta ao público e você poderá usufruir deste valioso conteúdo.

 

Além do vídeo, também colocarei algumas explicações escritas, o Experiment Board possui 4 grandes blocos de informações, a parte da esquerda apenas explica o que deve ser preenchido no lado direito, vou explicar e exemplificar abaixo cada campo do quadro.

Parte superior direita

Cliente:

Especifique o cliente com no mínimo 3 características, quanto mais melhor.

Ex.: Adultos empregados que andam de skate em pistas de skate.

Problema:

Este é o ponto crítico da ferramenta, uma forma fácil de definir o problema é colocar uma afirmação na perspectiva do cliente.

Ex.: Não consigo guardar meus pertences em segurança enquanto eu ando de skate.

Solução:

A solução não deve ser pensada no inicio do processo, somente quando você já identificou um nicho (clientes) e um problema.

Hipóteses:

Você deve colocar aqui as hipóteses em que você se baseou para determinar o cliente e o problema, elas devem ser validadas (testadas) e ver quais são verdadeiras ou falsas.

Ex.: Os skatistas querem guardar seus pertences enquanto andam de skate.

Ex.: Os skatistas não tem local para guardar seus pertences enquanto andam de skate.

Tipo de teste e critério de sucesso:

Uma vez selecionado o cliente e o problema baseado em suas hipóteses, você deve testar as suas suposições. Existem diversas formas para isso, os melhores são pesquisa presencial e MVP (Minimum Viable Product – Produto Mínimo Viável), existem outras formas, mas não fornecem tantos detalhes e informações importantes para o seu aprendizado sobre o cliente e o problema, além de poder te enganar quanto a validação das hipóteses em teste.

Ex.: Tipo Entrevista Presencial e critério de sucesso 7 de 10 ou 70%.

Parte inferior

Resultado e decisão:

Aqui vai relatar o resultado do teste e decidir se as hipóteses estão validadas ou invalidadas.

Ex.: 8/10 Validou

Ex.: 6/10 Invalidou

Aprendizados:

Você vai obter diversos aprendizados com a realização do teste, deve anotar neste campo os principais pontos, isto fornece novos direcionamentos, hipóteses e prioridades.

Ex.: Tem pouca segurança para os skatistas nas pistas

Ex.: O local possui um armário para guardar os pertences dos skatistas